A verdade sobre as teorias da conspiração envolvendo o Rock

Já não é de hoje que o Rock é envolto de muitas teorias da conspiração. Ao longo das décadas, foram inúmeros os rumores que associavam o sucesso de bandas famosas — como AC/DC e KISS — a conspirações, sei lá, envolvendo adoração ao diabo. Eu gosto muito de rock. E eu sinto um certo preconceito das pessoas quando eu falo isso, porque as pessoas ficam tipo, eh, lá vem o roqueirinho.

Satanic Panic, a origem dos boatos.

Essa cisma das pessoas com o Rock começou na metade dos anos 80, com um movimento midiático chamado Satanic Panic, fruto da explosão do neopentecostalismo. A mídia norte americana, de olho nisso,  precisava de uma fábrica de rumores. Assim como em 1995 foi o Michael Jackson com as acusações de pedofilia, assim como em 2007 o alvo da vez foi a Britney, o alvo de 1985 foram as bandas de rock. Se você tá curtindo esse texto, não deixe de ler também esse outro aqui falando sobre capas de disco que são obras de arte.

Deu ruim, quando em 1985, o serial-killer Richard Ramirez — considerado um dos mais cruéis de toda a história Americana — foi capturado utilizando uma camiseta com o logo do AC/DC. Isso foi um prato cheio para os tablóides e as pessoas começaram a especular que bandas de rock faziam apologia ao estupro e assassinato. A coisa toda ganhou uma proporção tão grande que até mesmo o FBI precisou intervir, negando, que de fato o AC/DC incentiva essas coisas. 

Parece, mas não é.

É importante explicar que o AC/DC é basicamente uma banda de tiozões. O que um tiozão de meia aposentado quer? Beber e trepar. E as letras falam basicamente de envolvimentos mais intensos, e aí que eles fazem metáforas como Highway to Hell (estrada para a perdição). Em Hell Bells, que ao pé da letra pode ser entendido como Sinos do inferno, quando na verdade Ring my bells, verso que termina a música é uma gíria em inglês para satisfação sexual. 

A banda Kiss também sofreu com o “Satanic Panic“. Existem muitas teorias por aí, uma delas é que o significado de Kiss é “Kids in Satan Service” (???). Imagine que um gênio como Gene Simmons ia criar um nome bosta destes. A história real é que o nome Kiss é spin-off da antiga banda de um dos vocalistas (Peter Criss), chamada de Lips. Alguns dos vocalistas são Judeus, descartando também as teorias de que sobre as duas letras S no final da palavra KISS, formam uma suástica. 

A verdade sobre isso tudo.

Até mesmo Ozzy Osbourne — sim, ele mesmo, apesar de todos aqueles episódios bizarros e polêmicos, tipo ter arrancado cabeça de morcego e de pomba com a própria boca — já negou publicamente que suas músicas não tem associação a crenças em coisas ocultas. Esses episódios foram puro marketing. E droga. Muita droga.

Logo, a grande verdade é que o rock é uma ironia, onde as bandas se beneficiaram liricamente do julgamento das pessoas para justamente refletirmos de não devemos julgar as pessoas pela aparência.  A prova final de que tudo isso é um enorme mal entendido, é que hoje em dia existem bandas de rock evangélico. Tá bom assim?

Published by Guto

Pai Pet, dono de cinco suculentas. Blogueiro e Ilustrador. Roller boy. Blood marry é horrível.

One comment on “A verdade sobre as teorias da conspiração envolvendo o Rock”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *