Seria o Diabo o pai do Rock?

A demonização do Rock é um assunto que causa arrepio e fascínio em muita gente.  Ao longo das décadas, foram inúmeros os rumores que associavam o sucesso de bandas famosas a ritos de adoração ao capiroto. Então, meus queridos Salvers, preparem o cafezinho. Ajeitem a poltrona. Separem um biscoitinho. Peguem um crucifixo e façam uma oraçãozinha. Porque hoje nós vamos lançar luz sobre esse assunto.

A minha motivação para fazer este texto tem também caráter de reparação pessoal. Meu trabalho tem uma estética Glam – Dark – Gothic. Existe um flerte com a cultura punk & rock. Utilizo propositalmente — em minhas ilustrações e na identidade aqui do SVJK —  elementos com conotação negativa tais como mão chifrada (chamada de Mailok), naipes de pôker, chifrinhos, zumbis, cigarro, etc. Narrativas que são justamente um manifesto sobre o erro de usar a aparência como termômetro de caráter. 

Essa imagem tem me feito sentir um preconceito velado vindo de algumas pessoas, e eu queria deixar aqui registrado que sou cristão e não sou adorador de satanás, ok? haha. Sou artista e meu trabalho é gerar reflexão. 

Essa situação me fez imaginar um pouco do que os membros do AC/DC devem ter sentido em 1985, auge do “Satanic Panic“, movimento midiático dos EUA onde se iniciou a disseminação de conspirações que associavam a filosofia do satanismo aos crimes de estupro, assassinatos, etc. Posteriormente o FBI negou que existia essa associação. Foi bem nessa época que aqui no Brasil surgiram todos aqueles boatos sobre as bonecas e discos da Xuxa. Foi uma tendência mundial. 

Até aquele momento o AC/DC — um dos fundadores do hard rock — eram só uma banda de tiozões que falavam sobre mulheres, trepar e fazer road trips. Até que viram seu trabalho ser injustamente associado ao satanismo, quando naquele ano o serial-killer Richard Ramirez — um dos mais cruéis da história Americana — foi preso utilizando uma camiseta da banda. Ali se iniciou uma crise de publicidade para o AC/DC, onde são demonizados até hoje. 

A banda Kiss também sofreu com o “Satanic Panic“. Existe até hoje um hoax que diz que o significado de Kiss é Kids in Satan Service (???). Imagine que um gênio como Gene Simons ia criar um nome bosta destes. A história real é que o nome Kiss é inspiração/linkagem ao nome da antiga banda de um dos vocalistas (Peter Criss), chamada de Lips. Alguns dos vocalistas são Judeus, descartando também um outro Hoax sobre as duas letras S no final da palavra KISS formarem uma suástica. 

Até mesmo Ozzy Osbourne, apesar de todos os episódios bizarros e polêmicos, como ter arrancado cabeça de morcego — e de pomba — com a boca, já disse publicamente não ser adorador do tinhoso. Esses comportamentos bizarros eram frutos de seu comportamento heavy-user de drogas.

No fim, é tudo uma grande ironia, gente. Se vocês forem observar o conteúdo lírico das letras do AC/DC e do Kiss, verão que a maioria das letras fala de, amor. Essa é a grande ironia do Rock.

Que Deus abençoe a todos, amém.

Published by Guto

Pai Pet, dono de cinco suculentas. Blogueiro e Ilustrador. Roller boy. Blood marry é horrível.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *