Camisa Xadrez: Origem, estilos e dicas para usar

O tempo passa, mas ela sempre volta. Parece até a Mariah Carey no Natal. Hoje eu vou falar sobre as camisas Xadrez. Tem quem chame de camisa de lenhador, roupa de festa junina, country, hipster, flanela. Nenhum desses nomes está errado. 

Mais antiga do que você imagina.

As padronagens surgiram na era medieval, na região da Escócia. As listras coloridas eram usadas não só para detalhe estético. Mas cada padronagem identificava clãs, territórios e famílias. Existem diversas variações de padronagens, sendo as mais famosas identificadas como Tartan, Buffalo plaid, Argyle, Burberry e Madras.

Lá em 1850, uma fábrica dos Estados Unidos chamada Woolrich — que existe até hoje — patenteou a padronagem Buffalo Plaid e começou a produzir em massa peças em flanela, que é um tipo de fio que lembra lã e que esquenta bastante.  E foi um hit instantâneo entre os povos indígenas, lenhadores (lumberjacks), e moradores da fronteira entre EUA e Canadá. 

Grunge, retorno nos anos 90.

Anos mais tarde, na década de 90, as pessoas estavam vivendo uma filosofia de vida que era ser despreocupado, desconstruído, mais focado em conforto do que estética. Isso originou uma subcultura chamada Grunge, que fez uma ressignificação cultural e transformou as camisas Xadrez em um ícone urbano e despojado. Nessa época as marcas também passaram a fabricar camisas de padronagem de cotton (algodão), buscando roupas mais fresquinhas.

Quem foram os hipsters mesmo?

Anos mais tarde, a terrível recessão de 2008 abalou as estruturas de todo o mundo, mudando o comportamento do consumidor que passou a optar por bens mais duráveis e rústicos. A geração millennial —  nascidos entre o fim dos anos 80 e início da década de 2000 — passou a consumir massivamente produtos com aspecto retrô e artesanal, criando outra subcultura, chamada de hipster. Inclusive se você tá curtindo esse post, eu super recomendo esse outro artigo meu sobre Coturnos.

Foi aí, que por volta de 2009 surgiu o Lumbersexual, um consumidor que vive em grandes centros urbanos e que se veste como se vivesse numa fazenda. Nessa época tudo era retrô. Não por coincidência, bem nessa época surgiu o Instagram, que era um app de filtros de polaroid kkk, muito old. 

A Camisa xadrez nos dias de hoje.

Tal qual o grunge, a hipster culture já deu lugar a um novo movimento conduzido pela Gen Z — que ainda não tem um nome certo — mas a imprensa tem chamado de Normcore. Mais do que nunca, as pessoas estão primando pelo conforto acima da estética. Assim como certamente All I want for christmas is you ainda será por um bom tempo o hino oficial do Natal,  as camisas xadrez ainda permanecerão por um bom tempo no guarda roupa das pessoas. Mariah e eu ficamos felizes. 

Combinações para se inspirar

Quando eu falo sobre moda, eu não curto ditar o que deve ser usado. Mas aqui vão três ideias de combinações para você usar, caso esteja buscando inspiração.

Aqui eu estou usando uma camisa de flanela com padronagem buffalo plaid azul e marrom. Essas camisas se usadas com uma t-shirt básica por baixo, criam um visual bem despojado e casual. Combinado com uma calça chino dá um ar rústico. Desculpe a cara de cu na foto, eu estava com fome.
Além de camisas, dá pra combinar bermudas também com padronagens. Aqui eu usei uma bermuda combinada com camiseta preta e uma jaqueta de sarja, e sneaker.
Calça de sarja com modelagem mais folgada dando match com os tons da camisa, e um suspensório para complementar, em tom preto combinando com o tom do tênis, para quebrar um pouco o vermelho.
Para criar um visual despojado e confortável em dias mais frios, dá pra combinar uma camisa xadrez e um cachecol solto. Aqui eu criei um visual clean usando jeans de lavagem estonada clara com uma camisa de padronagem branca. O cachecol e a bota em tons escuros criaram contraste.
Dependendo da ocasião, fica a seu critério usar a camisa com os primeiros botões abertos, ou completamente fechada. Eu gosto de usar ela entre-aberta em alguns momentos para sensualizar mostrando um pedacinho da minha tattoo.

Fontes de pesquisa:
[1] https://pieceworkmagazine.com/a-brief-history-of-buffalo-plaid/
[2] https://historyimagined.wordpress.com/2017/06/16/big-jock-mccluskey-and-the-buffalo-plaid/
[3] https://www.thecanadianencyclopedia.ca/en/article/lumberjacks
[4] https://jordandetmers.com/2014/11/14/why-hipsters-dress-like-lumberjacks-the-story-of-the-lumbersexual/

Published by Guto

Pai Pet, dono de cinco suculentas. Blogueiro e Ilustrador. Roller boy. Blood marry é horrível.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *